Araraquara News

Segunda, 02 de agosto de 2021

Esporte

Brasil inicia caminhada em Tókyo com as mulheres do futebol!

Após um ano de adiamento, seleção feminina estreia nos Jogos Olímpicos contra a China em busca do ouro inédito.

206
Publicidade
Imagem de capa

Imagens

A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando
 
 

O Brasil inicia sua caminhada nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 nesta quarta-feira, dia 21, pelos pés da seleção feminina de futebol. Liderada pela veterana Marta, eleita seis vezes a melhor jogadora do mundo, a equipe estreia contra a China, às 17h do Japão (5h do horário brasileiro), no Miyagi Stadium.

 

Após o adiamento do evento em 2020 e todas as incertezas que pairaram sobre os Jogos por causa da pandemia, a estreia acontece repleta de simbolismo.

 

“Hoje é um dia muito especial para nós. Depois de uma longa espera, começam oficialmente os Jogos Olímpicos para o Brasil. E com um simbolismo muito grande por trás disso em função do adiamento do evento e pelo fato de a estreia ser com o futebol feminino. Ela acontece em um momento em que a gente tem, dentro do COB, introduzido o programa da mulher no esporte olímpico e com o futebol feminino, que nos deu duas medalhas olímpicas e tem jogadoras como Marta e Formiga, que tanto representam a mulher no esporte. Vamos torcer para começarmos a caminhada com o pé direito”, afirmou o chefe de missão Marco La Porta.

 

O time que enfrenta a China nesta quarta-feira é comandado também por um ícone do futebol feminino mundial. A técnica sueca Pia Sundhage foi bicampeã olímpica com os Estados Unidos (Pequim 2008 e Londres 2012) e conhece como poucos os caminhos do pódio. Para o primeiro jogo, sua atenção está na pressão que as atletas irão sentir ao estrear em um evento tão importante.

 

“Eu espero que todas nós façamos um esforço para dar o nosso melhor e atingir nossa melhor performance, isso para mim significa colocar em prática o que temos trabalhado. Será muito empolgante, Jogos Olímpicos, primeira partida, vamos ver como as atletas irão lidar com essa pressão”, afirmou a treinadora.

 

O futebol feminino foi incluído no programa olímpico apenas em Atlanta 1996. O Brasil já criou uma tradição no evento e esteve presente em todas as edições desde então, ao lado de Suécia e Estados Unidos. As norte-americanas são as maiores medalhistas da história, com 5 ouros e 1 prata.

 

A equipe verde-amarela só não entrou na disputa por medalhas em Londres 2020, quando caiu nas quartas de final. As brasileiras subiram ao pódio duas vezes para receber a medalha de prata, em Atenas-2004 e Pequim-2008. 

 

Para tentar buscar mais um pódio nos Jogos Tóquio 2020, a seleção mescla a experiência de estrelas como Marta e Formiga, volante que esteve em todas as participações olímpicas do Brasil, com a juventude das estreantes Leticia Isidoro, Jucinara, Leticia Santos, Julia Bianchi, Angelina, Duda, Geyse, Ludmila e Giovana.

 

“Esse é o sonho de todas as meninas que, desde pequenininhas, vêem Marta, Formiga e Cristiane nos Jogos Olímpicos, na Copa do Mundo. Para mim, não é diferente. Estar aqui realizando esse sonho é uma conquista enorme, não só para mim, mas para minha comunidade. É mostrar para as crianças da favela que a gente pode chegar longe, sonhar alto”, disse Ludmila, que cresceu na periferia de Guarulhos, em São Paulo.

 

“Jogos Olímpicos são magia. Eu olhava na TV e era uma coisa muito mágica, era diferente. Estou chegando perto de sentir essa magia. O coração está a milhão”, confessou.

 

A treinadora Pia Sundhage procurou priorizar jogadoras com uma maior capacidade de adaptação a diferentes situações de jogo, além de aproveitar para investir na renovação da equipe. Por conta da pandemia, a Fifa permitiu a inscrição de 22 jogadoras por país, mas apenas 18 podem ser relacionadas para as partidas.

 

Antes de chegar ao Japão, a seleção participou de um período de testes em Portland, nos Estados Unidos. Pia aproveitou os treinamentos para investir no sistema ofensivo e aperfeiçoar a forma física. 

 

“Nessa reta final, nosso objetivo é nos organizar para fazer mais gols. É muito importante ganhar confiança nas finalizações. O foco principal é o ataque, precisamos entender como quebrar a defesa dos adversários e estabelecer uma maior conexão nas jogadas. Temos boas jogadoras e sei que vamos fazer o melhor”, afirmou a treinadora.

 

A seleção feminina está no Grupo G dos Jogos Olímpicos e faz seu segundo jogo contra a Holanda, no dia 24, às 20h do Japão (8h do Brasil), no Miyagi Stadium. O time encerra sua participação na fase classificatória diante de Zâmbia, no dia 27, às 20h30 (8h30 do Brasil), no Saitama Stadium. 

 

“A partir de agora começa uma competição atrás da outra. Nossos atletas estão bem preparador, e a expectativa é de grandes resultados. Temos certeza de que o Brasil vai brilhar e contamos com a torcida de todos”, afirmou La Porta. 

 

O Time Brasil está no Japão com sua maior delegação da história em uma edição realizada no exterior: 302 atletas de 35 modalidades. Entre os esportistas do país nos Jogos estão 31 medalhistas e 18 campeões olímpicos.

Sobre o COB

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) é uma organização não governamental, filiada ao Comitê Olímpico Internacional (COI), que trabalha na gestão técnica, administrativa e política do esporte nacional. A missão do COB é desenvolver e representar com excelência o esporte de alto rendimento do Brasil, trabalhando na melhoria de resultados esportivos do Time Brasil, elevando a maturidade de gestão do COB e Confederações filiadas e fortalecendo a imagem do esporte olímpico brasileiro. É dever do COB ainda proteger e promover os valores olímpicos em território nacional.

 

Ao longo de seus 107 anos de existência (fundado em 8 de junho de 1914), o COB já levou o Brasil à conquista de 129 medalhas em Jogos Olímpicos (30 de ouro, 36 de prata, 63 de bronze) e 37 medalhas em Jogos Olímpicos da Juventude (11 de ouro, 15 de prata e 11 de bronze).

 

Airbnb, Alibaba Group, Allianz, Atos, Bridgestone, Coca-Cola, Intel, Omega, Panasonic, P&G, Samsung, Toyota e Visa são Patrocinadores Olímpicos Mundiais (programa TOP do Comitê Olímpico Internacional). O COB tem o patrocínio das empresas: Peak, Prevent Sports, TIM e XP - Patrocinadores Oficiais; Aliansce, Havaianas e Riachuelo - Apoiadores Oficiais; Ajinomoto e BRW - Parceiros Oficiais; e Boali, Max Recovery, Persono e Wöllner - Fornecedores Oficiais.

 

O COB possui também parceria com as Loterias Caixa, que, conforme previsto por lei, repassam 1,7% do valor apostado em todas as loterias federais do país para investimento no esporte olímpico brasileiro, e com a Match Hospitality AG - Revendedora de Ingresso e Pacote Oficial para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020.

Fonte/Créditos: EBC/COB

Créditos (Imagem de capa): EBC/COB

Comentários:

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!