Araraquara News

Notícias/Conteúdo Patrocinado

INOVAÇÃO: Economia colaborativa e circular se tornam realidade em condomínios de São Carlos 

Empreendimentos da ADN Construtora adotam soluções compartilhadas que contribuem para consumo consciente e sustentável 

INOVAÇÃO: Economia colaborativa e circular se tornam realidade em condomínios de São Carlos 
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Muito se fala sobre consumo consciente e sustentável, em economia circular e compartilhamento de bens para aprimorar o uso dos recursos para proteger o planeta. No exterior, o sharing concept (conceito compartilhado) já é uma realidade que vem sendo experimentada e utilizada há alguns anos, estimulando que pessoas utilizem produtos ou serviços sem necessariamente adquiri-los. No Brasil esse tipo de consumo é considerado novo e está em fase experimental em diversas capitais e grandes cidades, seja através de mobilidade, conveniência ou bem-estar. 

BRASILEIROS APROVAM E PARCERIAS VIABILIZAM PROJETOS 

Segundo pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 89% dos brasileiros já experimentaram alguma modalidade de consumo compartilhado e aprovaram o modelo, que agora é realidade em São Carlos, importante polo tecnológico e de inovação do interior de São Paulo. Isso porque a ADN Construtora, sempre comprometida com projetos inovadores e o consumo consciente, desenvolveu em parceria com as empresas de tecnologia u-Shar e FlipOn dois projetos que levarão a economia colaborativa, compartilhada e circular para os empreendimentos da construtora através do ADN Simplifica. 

Essas parcerias estratégicas viabilizam a implantação e execução desses projetos. Paula Jansen, Diretora de Projetos, Produtos, Inovação e EVTL (Estudo de Viabilidade Técnica e Legal) da ADN Construtora diz que essas soluções foram pensadas para melhorar a qualidade de vida dos clientes e estimular o empreendedorismo e a economia compartilhada dentro dos condomínios. “Nossos clientes economizarão tempo, dinheiro, terão acesso ao lazer e a meios de locomoção limpos e sustentáveis, além de poder ganhar um valor extra disponibilizando seus próprios equipamentos que estejam ociosos”, afirma.  

Paula Jansen, Diretora de Projetos, Produtos, Inovação e EVTL (Estudo de Viabilidade Técnica e Legal) da ADN Construtora 

 

ESTANTES COMPARTILHADAS 

 A u-Shar é uma empresa focada no compartilhamento de bens em condomínios. Ela disponibiliza estantes compartilhadas abastecidas com grande variedade de utensílios que auxiliam os moradores no aluguel e compartilhamento de produtos que facilitam o dia a dia das pessoas. Uma prateleira aberta é instalada no condomínio com utensílios pré-definidos e aos poucos os moradores também vão incorporando novas ofertas e demandas a plataforma. Aspirador, furadeira, mixer, livros, roupas, bicicletas, patinetes, brinquedos, absolutamente tudo pode ser compartilhado.  

Os moradores reservam o produto e pagam apenas pelo período de uso estabelecido durante a reserva. Após isso, realizam a devolução. Mesmo sendo aberta, trata-se de uma solução extremamente segura, já que fica em um local fechado, de acesso exclusivo dos moradores, e possui um sistema de segurança como dos supermercados. Ou seja, tudo é gravado e os sensores controlam a todo instante os produtos. 

Imagem ilustrativa de estantes 

O primeiro empreendimento a receber a solução é o Parque das Acácias, em que os novos condôminos terão ainda a possibilidade de rentabilizar com os bens que desejarem compartilhar com o restante dos moradores através da plataforma digital. Isso porque uma pequena taxa, muito menor que o valor de um novo utensílio, é cobrada para que as pessoas utilizem os materiais. Parte do valor é utilizado para manutenção do serviço e outra repassada aos donos dos produtos.  

“Mudar o modelo de economia linear para a circular é o desafio deste século para todas as nações, para que seja possível garantir o futuro da vida na Terra. Mudar o hábito de consumir bens para usufruí-los por meio do compartilhamento é nossa maior motivação. Para isso, estamos trazendo e implantando o conceito de economia compartilhada aqui em São Carlos e, justamente por tudo isso, que a nossa parceria com uma construtora referência em inovação é fundamental para entendermos o que os brasileiros desejam obter em termos de economia compartilhada”, diz Eryka Augusto, CEO da startup. 

PATINETES ELÉTRICOS 

Mais de 500 moradores do Residencial Flor de Liz, em São Carlos, serão beneficiados com o serviço de patinetes elétricos. Os veículos serão disponibilizados na portaria do condomínio para uso coletivo. A novidade foi anunciada em evento simbólico que ocorreu na Praça Maria Divina Borges, reunindo moradores durante o momento de lazer e propondo uma nova experiência de mobilidade urbana e entretenimento. 

Patinetes movidos a energia elétrica são alternativa para pequenos deslocamentos 

O projeto por enquanto é piloto, mas conforme a adesão pretende-se implementar a ideia em outros empreendimentos da ADN, que sabe como é importante promover e democratizar novas tecnologias. “Cada vez mais os clientes vêm acompanhando as tendências de mercado e o patinete elétrico, além de muito divertido, é um meio de transporte econômico perfeito para passear, ir até a farmácia ou supermercado ou se locomover até o trabalho, e com zero emissão de CO²”, completa Paula. Para ela esse tipo de serviço faz parte de um movimento sem volta, pois as pessoas estão mais conscientes e propensas às ideias sustentáveis e inovadoras. 

Veículos podem ser usados tanto para locomoção quanto lazer 

Não por acaso, São Carlos é conhecida como a "Capital da Tecnologia" e, para a ADN, investir em inovação e mobilidade urbana sustentável é fomentar a tecnologia em toda região, uma vez que a construtora está em franca expansão por todo estado de São Paulo. “Deixar de usar o carro nos percursos curtos durante o dia a dia será uma nova opção e experiência para os moradores. Esperamos que aproveitem e adotem cada vez mais novas práticas sustentáveis às rotinas”, finaliza a executiva da construtora. 

 

 

 

 

Comentários:

Veja também