Araraquara News

Notícias Economia

Condo-hotel: um modelo de investimento também disponível nos EUA

Você também pode ser dono de um quarto de hotel em Orlando e ter uma renda em dólar

Condo-hotel: um modelo de investimento também disponível nos EUA
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

 

Um investimento já conhecido no mercado brasileiro, responsável pelo desenvolvimento de cerca de 60% do novo parque hoteleiro das grandes capitais nos últimos 20 anos, o condo-hotel, ou apart-hotel, também é encontrado em diversos países, desde o continente americano, passando pela Europa e chegando à Ásia.

O que ocorre entre os países são pequenas variações nas regras para locação do imóvel e na legislação de mercado, semelhante ao que a CVM faz aqui no Brasil.

Mas dois fatores convergem entre todos os países: o conceito de unidade autônoma, com escritura própria, cuja propriedade é do investidor, e o fato de uma rede hoteleira fazer a gestão do empreendimento – com a cessão da posse do investidor para a bandeira hoteleira por um período determinado.

 

Você já pensou em ser dono de um quarto de hotel no maior destino turístico das Américas?

 

Orlando possui algumas boas opções de empreendimentos hoteleiros já em operação, portanto com histórico para você investir e usar seus apartamentos hoteleiros sem ter que se preocupar com a administração desse investimento.

Mas antes disso, vamos resumir o que é um condo-hotel.

O condo-hotel é um empreendimento hoteleiro com unidades autônomas que possuem escritura definitiva, administradas por uma operadora hoteleira. São adquiridas por investidores que obtém rendimentos com a locação de sua unidade.

Escritura individual

O condo-hotel é uma forma segura de investimento, pois combina a possibilidade de se obter uma boa rentabilidade. Em média, acima de outros investimentos de mercado, com a segurança do capital investido em imóveis. As unidades são registradas com escrituras em nome de cada proprietário.

Investimentos constantes

Pelo fato do empreendimento ser um hotel administrado por grandes redes hoteleiras, conta com investimentos frequentes em ações de marketing para divulgação e em manutenção, o que garante sempre perfeitas condições.

 

Quais são os riscos da operação?

Em um imóvel comum, as preocupações são as mais diversas possíveis, principalmente quando o dono do imóvel decide alugar o mesmo e incorre em diversas assimetrias de informação sobre o possível futuro inquilino, como por exemplo, a capacidade de pagamento e de conservação do imóvel. Já em um condo-hotel, um administrador especializado e com ampla experiência em operar tal tipo de empreendimento será o responsável por todos os aspectos operacionais, cobrando uma taxa fixa de administração e compartilhando de forma pré-definida e transparente os lucros gerados pela(s) unidade(s).

No final das contas, o maior dos riscos acaba sendo o de ocupação e de gestão dos custos de operação. Ambos os fatores estão ligados diretamente à rede hoteleira, que ficará com a gestão da unidade adquirida, ao destino e localização. Ou seja, o ponto/localização do empreendimento está intimamente relacionado com a taxa de ocupação.

 

Orlando, na Flórida: o maior destino das Américas

E é isso mesmo que você leu. Não é Nova Iorque, não é Las Vegas, muito menos Los Angeles.

O maior destino em número de visitantes das Américas ‘era’ Orlando, na Flórida. Nos últimos quatro anos foi assim. Orlando batendo recordes atrás de recordes, em número de visitantes. A última marca foi de mais de 70 milhões de visitantes no ano.

Incrível, não p mesmo? Só para esclarecer, quando falamos em turismo internacional, Orlando perde para outros destinos nos Estados Unidos. Dos mais de 70 milhões que visitam a mágica cidade de Orlando, 92% são norte-americanos. Provavelmente, isso é uma surpresa para você.

Não é a toa que, por ano, são quase 500 milhões de viagens domésticas dentro dos EUA.  Por isso, a hotelaria americana,  com seus mais de 50 mil hotéis em operação, conseguia até 2019, antes da pandemia, trabalhar com a média nacional de ocupação próxima de 69%.

Mas, voltamos ao maior destino das Américas.

Orlando tem o maior complexo de parques temáticos do mundo e isso o torna o maior destino familiar do mundo. Mas, felizmente, esse destino não vive só de Disney, Universal, Sea World, entre outros. 

Orlando também é a cidade dos Estados Unidos que melhor ocupa seu Centro de Convenções, o “Orange County Convention Center”.

O segundo maior Centro de Convenções da América, localizado na turística International Drive, vem superando o gigante Centro de Convenções de Chicago por alguns anos consecutivos.

Ainda assim, Orlando tem outros importantes pilares que contribuem para esse numero de mais de 70 milhões de visitantes, como vamos listar abaixo:

  • USTA: possui sua nova sede em Orlando, transferindo-se de Nova Iorque, e conta com mais de 100 quadras para o desenvolvimento do tênis nos EUA. Fica localizado na região de Lake Nona.
  • Medical Center: Inaugurado em Lake Nona, é um complexo de 650 acres inteiramente dedicados à saúde, pesquisa e desenvolvimento em medicina. Inclui: UCF Health Science Campus, Sanford-Burnham Medical Research Institute, MD Anderson Cancer Research Institute, Nemours Children’s Hospital, Orlando VA Medical Center e University of Florida Research Center.
  • Amway Center: Inaugurado em 2010, como a casa do Orlando Magic, time profissional de basquete da NBA, a arena também trouxe inúmeros shows de artistas consagrados, eventos de UFC, Boxe e WWE.
  • Phillips Center: Inaugurado em 2014, com investimentos de 488 milhões de dólares, é um dos mais modernos centros de artes cênicas e música dos EUA. Faz de Orlando rota obrigatória dos principais espetáculos da Broadway, concertos e tours de orquestras sinfônicas.
  • Orlando é um dos principais destinos de compras dos EUA: São três outlets e vários shoppings disponíveis para os milhares de compradores.
  • Centro aeroespacial: Além disso, há espaço na região para a importante presença da indústria bélica e aeroespacial, como a NASA, por exemplo.
  • Mobilidade: Aproximadamente 45 minutos do Centro, há o maior porto de passageiros para cruzeiros e o Aeroporto de Orlando, que já ultrapassou o aeroporto de Miami em números de passageiros. Por falar em aeroportos, a obra do terceiro terminal do Aeroporto de Orlando deve ser concluída em 2022.

 

Há ainda os parques estaduais, parques naturais, Universidades, o grande estádio do time de futebol da cidade, o Orlando City, e outros importantes geradores de demanda.

 

Estrangeiro também pode investir?

E você, que já investe em condo-hotel, deve estar se perguntando se esse tipo de investimento é possível para estrangeiros, sem vínculo com os Estados Unidos. A resposta é: sim.

Luiz Arnaldo Haddad, presidente da Chalu Imóveis, em Araraquara, empresa com mais de 40 anos no mercado imobiliário, lembra que todo estrangeiro pode dolarizar, proteger e diversificar seu investimento nos EUA, e ainda ser elegível para financiamento com taxas de juros anuais abaixo de 5%.

Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!