Araraquara News

Sabado, 24 de Fevereiro de 2024

🔴 Ao vivo

Brasil

FEMINICÍDIOS APRESENTAM TAXA PREOCUPANTE NO BRASIL

Multi Comunicar
Por Multi Comunicar
FEMINICÍDIOS APRESENTAM TAXA PREOCUPANTE NO BRASIL
Foto de Pixabay: https://www.pexels.com/pt-br/foto/mulher-olhando-para-o-mar-enquanto-esta-sentada-na-praia-247314/
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Participe do nosso grupo no WhatsApp
Siga-nos no Instagram

A luta pela violência contra as brasileiras parece não ter fim. Os dados recentes dos números de feminicídio, referentes à 2023, comprovam essa alarmante estatística. As informações do Fórum Brasileiro de Segurança revelam que, apenas durante o primeiro semestre, foram 722 casos, um valor 2,6% maior que as ocorrências no mesmo período do ano anterior.

A região Sudeste apresentou a maior alta, com 16,2%, sendo que Minas Gerais ocupa o 3° lugar, entre os 4 estados desse grupo, com elevação de 11% nos episódios. O Rio de Janeiro foi o único a registrar uma redução.

A advogada do escritório Vasconcelos Rodrigues de Oliveira Advogados Associados, Maria Inês Vasconcelos, explica que o feminicídio denomina os diferentes tipos de violência contra elas, envolvendo aspectos como a desigualdade e descriminação, sendo ligados aos casos fatais, quando ocorre um assassinato.

Publicidade

Leia Também:

Os resultados também são alarmantes com os números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), apontando que a maioria dos feminicídios acontece dentro de casa, correspondendo a 30,4% das ocorrências, acontecendo pelas mãos do próprio companheiro ou ex-parceiro, por não aceitar a separação. A frequência também é maior para mulheres negras e pardas (34,8%), principalmente, se a fatalidade acontece fora do lar.

Maria Inês ainda lembra que além da Lei Maria da Penha para diminuir a violência - não apenas física, mas verbal, moral, patrimonial e sexual - sofrida pela mulher, protegendo-a ao afastar o agressor com a proibição de contato, desde 2015, a Lei de n°13.104/15 transformou o feminicídio em crime hediondo, considerado homicídio qualificado, ampliando a pena para 12 a 30 anos.

Comentários:

🚀 Aumente vendas e reforce sua marca! Anuncie aqui, alcance mais clientes